terça-feira, 16 de setembro de 2008

Aventuras de João Sem Medo - as pedras e os passarões

- Vamo-nos... em... bora!...-gaguejou João Medroso com as garras ferradas nos braços do pobre candidato a ave. - Esta terra está embruxada.
- Porquê?
- Olha como aquela pedra mexe. Ali...
João Sem Medo seguiu com o olhar a direcção indicada pelo dedo vacilante do companheiro e facilmente reconheceu que uma pedra enorme se movia com lentidão de peso.
- Vês? - tartamudeou o covarde de cabelos arrepiados à porco-espinho.
- Vejo... - admitiu o outro João muito tranquilo.
- E então? Não tens medo?
- Não... Primeiro porque sou o João Sem Medo. Segundo, porque jurei esconder o medo de mim mesmo, para não me desprezar. Terceiro, porque uma pedra a andar não me desperta medo, mas apenas curiosidade de saber porque anda.
- Pela tua rica saúde, vamo-nos embora - tremelicava João Medroso.
- Estás doido! Agora não me afasto daqui enquanto não decifrar o mistério.
E calou-se para analisar com atenção extrema os movimentos da pedra que - sobre isso não havia dúvidas - se deslocava no solo.
- Evidentemente, trata-se de uma espécie de tampa que cobre a abertura de um subterrâneo... - raciocinou João Sem Medo em voz alta para o medrolas. - Movida por um mecanismo qualquer...
Conclusão que se comprovou daí a somenos quando a pedra estancou e os dois rapazes verificaram a existência insofismável dum buraco aberto na terra donde, decorrido algum tempo, saíram em fila vários vultos simiescos que tresandavam a suor e carregavam às costas sacos pesadíssimos.

...

E as aventuras de João Sem Medo no "reino" fantástico por detrás do muro que trepou para ver o " Mundo" que havia para além da sua chorosa terra "Chora - Que - Logo - Bebes" continuam.

E as pedras? Estava à espera que fossem algo de fantástico, fabuloso, irreal, diferente. Mas não. Apenas abriam um caminho para homens que transportavam comida para outros homens que viviam nas alturas das suas árvores e não precisavam de se preocupar com as coisas comezinhas da vida, como seja o que comer.

Fiquei triste. Queria umas pedras fabulásticas.
Quanto à moral da história, nada de novo...

Para quem gostar: José Gomes Ferreira "Aventuras de João Sem Medo PanfletoMágico em forma de Romance"

12 comentários:

PedrasTuas disse...

E tudo isto porque a R. viu um rapaz numa árvore.

manuel marques disse...

Nenhum de nós sabe o que existe e o que não existe. Vivemos de palavras. Vamos até à cova com palavras. Submetem-nos, subjugam-nos. Pesam toneladas, têm a espessura de montanhas. São as palavras que nos contêm, são as palavras que nos conduzem. Mas há momentos em que cada um redobra de proporções, há momentos em que a vida se me afigura iluminada por outra claridade. Há momentos em que cada um grita: - Eu não vivi! eu não vivi! eu não vivi! - Há momentos em que deparamos com outra figura maior, que nos mete medo. A vida é só isto?

(Raúl Brandão.)

Rosa Oliveira disse...

pedras, vou ter que ler este livro?
já tenho tantos na lista.

eu estava a fumar o meu cigarro pouco pensativo e o miúdo (é profeta, já o vi por cá) a subir e descer a árvore. apenas.


[isto agora, dá-lhes para a literatura, não há quem os aguente]

PedrasTuas disse...

Obrigada pelas vistas e contribuições para um projecto que avança lento. Mais umas refeências para o meu livrinho de pensamentos, gritos, desabafos e registo de "palavras" interessantes.
Eu vivo rodeada de palavras. E realmente algumas pesam toneladas. Que nem as minhas queridas pedras.

Sim. Rosinha tens de ler o livro. Pelo menos para ver se temos algo para falar. É um livro que consta da lista de livros de leitura orientada ou recreativa do 2º ciclo. Não sei quem faz essas selecções. Não é um livro para crianças de 2º ciclo. Tenho dito.

Lucía.uy disse...

.......já conheco as pedras do caminho.......

um abraço

J P G disse...

Como geólogo, sinto orgulho no gosto demonstrado pelas pedras (rochas, como gostamos de lhes chamar).

Como apreciador de música, a canção "Estou Além" de António Variações, é um hino!

Como bloguer, muitos parabéns pelo que escreve e pela forma como o faz. Força!!!

A propósito, excelente escolha literária, as "Aventuras de João Sem Medo".

PedrasTuas disse...

Obrigada j.p.g.!
Gostei muito de me passear pela sua "calçada".

manuel marques disse...

Os homens e as mulheres em sociedade são como as pedras numa abóbada, resistem e ajudam-se simultaneamente .
Vá caríssima,aguardo mais aventuras e outros passarões.

Rosa Oliveira disse...

proponho que seja no fim-de-semana.

PedrasTuas disse...

Terá mesmo de ser no fim de semana. Ando em processo de mudanças. Sabes, aquilo que dá conta de mim...

Mas aqui fica o meu muito obrigada pelo incentivo.

Rosa Oliveira disse...

Pedras selecciona logo as coisas. Por Zeus, não encaixotes tudo.
pedras, DEITA FORA. A sério!!
Oferece, se alguém precisar.
Vá lá...

V disse...

Um dos meus livros de cabeceira de sempre, tenho até aqui, no quadro em frente aos olhos a mesma frase que João viu antes de passar o muro: "É proibida a quem não andar espantado de existir"

Obrigado pela visita e pelos comentários e fica com, além de um beijo, um poema do Zé Gomes:

"Se eu pudesse iluminar por dentro as palavras de todos os dias
para te dizer, com a simplicidade do bater do coração,
que afinal ao pé de ti apenas sinto as mãos mais frias
e esta ternura dos olhos que se dão.
Nem asas, nem estrelas, nem flores sem chão
- mas o desejo de ser a noite que me guias
e baixinho ao bafo da tua respiração
contar-te todas as minhas covardias.
Ao pé de ti não me apetece ser herói
mas abrir-te mais o abismo que me dói
nos cardos deste sol de morte viva.
Ser como sou e ver-te como és:
dois bichos de suor com sombra aos pés.
Complicações de luas e saliva."


José Gomes Ferreira