segunda-feira, 6 de julho de 2009

o mar, a areia, a praia...e aalgumas rochinhas...

NO MAR
TOALHAS verdes, alva espuma,Areia branca sem fim,E as ondas, que, de uma a uma,Vêm quebrar-se ao pé de mim.
Longe, um barco leve, leve,Cortando o espelho do mar,Com velas brancas de neve,Que o vento enfuna a cantar.
E o barco avança ligeiroNum garbo de quem conduzGozo plácido e fagueiroDas águas a flux.
Vem de outras terras e praias,Que eu não conheço, e nem seiOnde assentam suas raias,Qual seu nome e sua lei.
No largo bojo profundo,Que lindas cousas não traz!Vem das plagas de outro mundo?É mensageiro de paz?
Uma canção, doce e bela,Voz de marinheiros, vem,Numa toada singela,Que afaga o peito e faz bem.
E eu sonho ignotos países;Céus de esplêndido fulgor;Vergéis de ricos matizes;Rios de ingente rumor;
Cidades, palácios, quintas;Sons de outra língua; outra voz;Decorações de áureas tintas,E outros povos como nós...
E a visão prende-se a vista...E eu sonho - crescer... crescer...E, olhos de sábio e de artista,Por todo o mundo estender.
Fonte: www.unicamp.br

Um Poema que de repente e por cansaço virou prosa esteticamente...
Zalina Rolin
Ao fim de semana que se aproxima... para ti Rosinha.

6 comentários:

Pico minha ilha disse...

Nas flores tenho um irmão.Aqui estou com falta de tempo para sentar e escutar o que vem de dentro, sem falta para escrever mesmo.O mar ali em baixo e nada de banhos, também ontem choveu todo o dia e hoje está um dia daqueles que pouco vemos diante do nariz.Saudações Picarotas

PedrasTuas disse...

Olá! Por aqui ( Madeira) o tempo também está muito instável. A praia ainda vai ter de esperar. por enquanto ainda tenho de fazer estatísticas na bibliotesa da escola. Utilização dos computadores; livros mais lidos; livos mais usados pelos alunos para levar as as aulas e dvds...
uma infinidade de coisinhas para contar.

A inspiração para escrever também faz companhia ao cansaço... Daí só colocar palavras de outros e não minhas...

Quanto ao seu irmão...até pode ser que o conheça. Já lá trabalhei há muitos anos. Talvez em 98/99.

Mas ficaram muitas recordações agradáveis. Ainda hoje tenho alunas que me telefonam e escrevem. Já são mães... EStou mesmo velha. Para mim continuam os meus meninos...para sempre...

Saudações de uma Picarota de alma.

PedrasTuas disse...

Rosinha!! Sempre vou.
Até ao fim de semana. Nada de convites para a praia...

manuel marques disse...

"o mar, a areia, a praia...e algumas rochinhas..."

Mas que inveja.Por aqui troveja chove,troveja chove,sol nem vê-lo,tudo cinzento.

Beijo.

Pico minha ilha disse...

Meu irmão só foi para as Flores em 2002.Em princípio só para trabalhar, mas lá ficou, fez casa, tem uma filha e vai levando a vida.Fim de ano pela escola é assim.Por aqui também acabou, lá vai uma filha para o 8º e outra para o 12º.Como o tempo corre e as crianças crescem!
Não gosto muito de colocar coisas de outros, fico-me por foto, um pensamento ou pouco mais.Esta semana, um pouco mais leve de trabalho e quem sabe na próxima não tiro a semaninha de férias.
Saudações picarotas, hoje com um dia mais claro, mas sem sol ainda.

PedrasTuas disse...

Querido Manuel...

Que tal pensar deixar a chuva e vir ter connosco numa praia de 9 km e um local ainda relativamente sossegado...

Espero pelo dia em que aceitar..

Ah! O clima é fora... e acho que não o afecta assim muito...prlo menos pelo que vou acompanhando no blogue...

um até breve... Sempre vou ver as rochas, as pedrinhas, os seixas e as areias...

Pense bem na proposta...